Em vários estados e cidades brasileiros, foram solicitados o uso da máscara para quem precisa sair de casa. E isso também é uma recomendação a âmbito estadual, com o Governo de Pernambuco em conjunto com a Prefeitura do Recife anunciando no dia 23 de abril o uso do acessório, orientando que aquelas pessoas que exercem atividades essenciais ou necessitam sair para adquirir produtos ou ter acessoa serviços essenciais ao longo do período de pandemia.

Diante dessa necessidade, muitos estão se encarregando de usá-las não apenas para uma breve saída, como também, para realizar suas atividades físicas em ambientes externos, como é o caso de uma pedalada e até mesmo um treino de corrida de rua. Mas qual é a eficácia dessas máscaras, devemos usá-las mesmo para que não apenas o corredor mas as pessoas a seu redor possam se sentir seguras?

De acordo com Paddy McCluskey, médico de medicina esportiva norte-americano, localizado no Texas, as máscaras não estão protegendo o usuário tanto quanto as pessoas ao seu redor. A matéria foi divulgada na revista Canadian Running.

“Existem dois tipos comuns de máscaras: as máscaras de barreira simples e as máscaras N95 . As máscaras N95 são muito melhores, mas também mais difíceis de obter. Mas há muitas maneiras pelas quais as máscaras podem falhar”, diz McCluskey. “Primeiro, quando as máscaras de barreira ficam molhadas, o que acontece mais rápido quando você se exercita e respira com dificuldade, as partículas podem atravessar a máscara. Segundo, ao usar uma máscara, é mais provável que você toque seu rosto, o que também pode espalhar partículas. Basicamente, máscaras realmente eficazes não ventilam bem, e máscaras baratas ficam úmidas muito rapidamente, tornando-as ineficazes.”

Em suma, como equipamento de proteção individual, McCluskey considera que as máscaras fornecem uma falsa sensação de segurança, mas quando se trata de proteger os outros, as máscaras são mais eficazes.

“Essa questão do espalhador assintomático é cada vez mais uma preocupação”, diz ele. “Os jovens e saudáveis ​​têm sintomas mínimos e podem sentir tosse ou espirro leve, mas ainda decidem correr. Nesse caso, uma máscara pode ajudar a manter as pessoas ao seu redor seguras. Não eliminará completamente a propagação, mas reduz o risco para aqueles que o rodeiam. ”

A maior recomendação de McCluskey para os corredores é se exercitar isoladamente agora, quando possível. “Eu odeio esteiras, mas se você tem uma esteira, use-a. Se você estiver correndo lá fora, vá sozinho ou em lugares remotos. A máscara é uma medida extra quando o distanciamento social não pode ocorrer – como nos supermercados. Mas quando se trata de correr, espero que você esteja se exercitando sozinho.”

Quando se trata de reintroduzir colegas de treinamento e administrar em pequenos grupos, McCluskey está otimista com o futuro. Ele diz que em BC a curva certamente está se achatando e que a província está procurando diminuir as restrições sociais nos próximos meses.

“Ainda não temos orientação específica sobre isso, mas está a caminho”, diz ele. “Há uma luz no fim do túnel.”

3 COMMENTS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here