Início Relato de Provas TrekFit 1ª Etapa: Saiba como foi…

TrekFit 1ª Etapa: Saiba como foi…

1227
0

O último fim de semana esteve repleto de corridas por Pernambuco. E não foram poucas, colocando nas ruas corredores em Riacho das Almas, Camaragibe, Machados, Jaboatão dos Guararapes e Carpina. Mas desta vez, o Pernambuco Running foi conferir e participar de uma prova bem diferente envolvendo o pedestrianismo e que aos poucos vem chamando a atenção daqueles corredores que desejam algo diferente, longe dos centros urbanos e envolvendo seus grupos ou assessorias: a corrida de orientação.

Neste domingo rolou a primeira etapa da TrekFit, circuito de corridas de orientação organizado pela Odisséia, organizadora especializada em trekking e corridas de aventura no Nordeste. E a primeira de seis etapas aconteceu no Cabo de Santo Agostinho, no Engenho Tiriri. Pra quem não conhece a corrida de orientação, o Circuito TrekFit é talvez a melhor porta de entrada para se aventurar, pois além do percurso de 15 quilômetros, voltando para competição, onde conta com ranking somando pontos a cada etapa, há também um percurso de 10 quilômetros, denominado “Curtição”, colocando os participantes na mesmo embalo da turma da competição, no entanto com um percurso menor e menos complexo.

Apesar de colocar todos “pra correr”, a corrida de orientação é bem mais que uma simples prova de corrida, pois a velocidade do corredor talvez é o que menos importa. Como é uma prova em equipe, o ritmo e o pace é determinada pelo corredor mais lento no momento da equipe, pois na corrida de orientação todos largam juntos e todos devem chegar juntos. Ou seja, aquele corredor que tem pudor em ser ajudado ou não gosta de trabalhar em equipe não tem espaço na corrida de orientação. E diferentemente onde na corrida de rua o corredor consegue controlar o seu ritmo, na corrida de orientação torna-se bem mais difícil, com o terreno castigado com subidas e descidas, áreas com matas fechadas ou com solo argiloso. A confiança no navegador (o cara que manuseia o mapa e a bússola) e o uso de um calçado confortável é primordial para chegar inteiro até o fim da prova. E sim, na corrida de orientação a hidratação é responsabilidade de cada corredor. Levando bem estas dicas a sério a gente está pronto para a Corrida de Orientação.

E assim fomos nós! A largada na Trekfit aconteceu por volta das nove horas! Sim, nove horas! Horário estranho pra muitos e um sol no quengo pra cada um. A missão aqui era encontrar durante os quinze (ou dez) quilômetros de prova os pontos de controle (PC) espalhados ao longo do percurso e não falhar, entrando em áreas proibidas demonstradas no mapa distribuído horas antes da largada pela organização. E saber utilizar a bússola e fazer a leitura adequada do mapa é fundamental para terminar no menor tempo possível. A sensação de tomar tomar decisão rápida, correr em terreno natural, manter o controle da distância percorrida, fazer a leitura correta do mapa e buscar cada ponto de controle durante o percurso, colocando a natureza como campo de jogo faz da corrida de orientação algo instigante para todos. E completar a prova depois de todos os desafios mostra que correr realmente é só um detalhe e o que o trabalho em equipe é algo bastante construtivo. E neste trabalho em equipe, quem se deu bem foi a turma do Papaléguas Runners do Jaboatão dos Guararapes, fazendo a dobradinha no pódio da competição com os dois melhores grupos. O terceiro lugar ficou com o grupo Super Siri, também de Jaboatão.

E a próxima etapa da TrekFit já tem data pra acontecer, será no dia 2 de abril, em algum ponto da região metropolitana! Se você também participou, compartilhe com a gente a sua opinião aí nos comentários dê a sua nota no campo “votação do leitor”!

Organização
Percurso
Preço
Avaliação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here