Início Maratona Júlio Cordeiro, o Pernambucano das 100 maratonas

Júlio Cordeiro, o Pernambucano das 100 maratonas

922
0

Aos 50 anos, o sertanejo Júlio Cordeiro faz as contas para a Maratona do Rio. Da primeira disputa em 2008, até este domingo serão 100 maratonas, e com um sabor especial, com a companhia de vários amigos. Desta vez não está preocupado em manter seu tempo médio, o pernambucano de Tabira irá compartilhar os 42 quilômetros ao lado de 100 amigos para a sua décima primeira Maratona do Rio em seus dez anos como maratonista.

Mas a trajetória de Júlio durante estes dez anos não foi tão fácil quanto se parece. Apaixonado por futebol, acabou por ficar longe das peladas de fim de semana para operar o joelho. Sedentário, passou trinta anos sem praticar qualquer atividade física e por muito pouco viu a morte de perto, com um problema cardíaco fulminante em 2016. Após o susto, ele teve que se reinventar e viu as caminhadas como uma atividade benéfica. Foi o trampolim que precisava, pois das caminhadas conheceu a ACORJA e, nove meses depois, se viu completando sua primeira maratona, a do Rio, em 2018.

A Maratona do Rio mudaria para sempre sua vida e talvez na época ele nem daria conta disso. De lá para cá Júlio já visitou 20 países e mais dez estados brasileiros para correr. Nas suas contas já percorreu mais de 4 mil km em corridas de rua e 35 provas internacionais no currículo. Depois de tanto chão, o objetivo é neste fim de semana completar a sua centésima maratona, em 10 anos como corredor e com 50 anos de vida.

Parabéns, Júlio!! Estamos aqui na torcida! E faltando muito pouco para a centésima maratona, o Pernambuco Running teve a oportunidade de conversar um pouco com ele, um bate-bola bacana, de corredor para corredor…

Quando foi que você colocou como objetivo alcançar a marca de 100 maratonas. Foi a partir de alguma prova em especial? Ou partiu da sugestão de algum corredor/amigo/familiar?
Na verdade, em 2013 eu fiz 45 anos. E eu sempre gostei muito de números e de coleção. Se você for na minha casa você vai endoidar. Eu tenho coleção de cerveja, de tampa de cerveja, medalhas, de caneca de cerveja antiga… é muita coisa! Então isso (de colecionismo) sempre me fascinou. E quando eu comecei essas maratonas, chegou em 2013 com 45 anos e eu fiz 50 maratonas. Eu não falei para ninguém, mas pensei em tentar chegar nas cem nos meus 50 anos. Como eu corri de 2008 a 2013 50, eu vou tentar fazer as outras 50 para terminar no ano de 2018 onde tem todas estas coincidências, que são 10 anos de corrida, são 25 anos de casado e 50 anos em 100 maratonas.

E como foi este planejamento? Cinquenta maratonas em cinco anos, existiu dificuldade?
Em 2016 tive um atraso que eu fiz “apenas” 7 maratonas (risos…) e fiquei atrasado em 2017. Aqui eu dei a carga realmente e fiz 14 maratonas, um pouco no sacrifício, mas para ter uma margem de segurança para fechar estas cem. Este ano eu já fiz a Maratona de Paris e agora estou aqui para fechar essa centésima, para fechar este grande ciclo de maratonas e amizades.

Em meio a tantas provas diferentes, visitando 20 países e 10 estados brasileiros, existe alguma maratona em especial neste vasto currículo?
Realmente tem muita coisa e eu passaria o dia inteiro contigo conversando. Eu fiz três vezes Paris e realmente me marcou muito. Foi nela que eu fiz os meus melhores tempos, meu recorde pessoal é em Paris com 3h24min em 2012, mas tem muitas outras. A Muralha da China é sensacional, um lugar que eu nunca imaginei em ir e fui pela corrida. Teve também Estocolmo, Copenhague, Chicago, Berlim, mas outra especialíssima é Nova Iorque. Enquanto a Maratona do Rio é a maior do Brasil, onde terminam 8, 9 ou 10 mil, em Nova Iorque quando eu fiz em 2013 terminaram 50.300 pessoas. Uma maratona atípica onde todo corredor tem que fazer. Outra que me marcou também foi a maior corrida da minha vida em quilometragem que foi a Comrades, uma ultramaratona na África do Sul que eu fiz em 2010. Eu estava muito mais bem preparado do que agora e fiz em 9h31min os 89 quilômetros.

E finalizando, com tanta experiência conquistada em apenas dez anos , ainda sente um friozinho na barriga a cada maratona realizada?
O frio na barriga, meu amigo… Na maioria das vezes dentro destas 99 eu acho que chorei em umas 80 ou mais! (risos…) Realmente a maratona é uma coisa emocionante, é um desgaste que você tem e só sabe quem está lá. Passa um filme todo na sua cabeça, na sua vida pensando “poxa vida, porque é que estou aqui?”. Você se pergunta muito, mas quando você completa a emoção bate mesmo. Eu mesmo me acabo de chorar… (risos)! Essa última eu não sei nem como vai ser, se eu vou conseguir terminar sabendo a carga de emoção que vai ter. Toda vez é uma emoção, antes de correr eu fico nervoso, eu rezo, peço a Deus para não me machucar… Fico ansioso e quando minha esposa está comigo ela diz que parece que é a primeira, pois é aquela confusão para pegar kit, ansiedade, na preocupação de dormir um pouco melhor no sábado e doido para que chegue a hora para você sair para correr, ver os amigos e concluir mais uma maratona.

Números de Julio Cordeiro na corrida de rua:

  • 92 maratonas
  • 7 Ultramaratonas
  • Total de 4.223,55kms

Marcos:

  • 1ª Maratona: Maratona do Rio, 2008;
  • 10ª Maratona: III Ultramaratona Nova Friburgo, 2009;
  • 25ª Maratona: Maratona do Recife, 2010;
  • 50ª Maratona: Maratona de Copenhagen, 2013;
  • 99ª Maratona: Maratona de Paris, 2018;
  • Melhor tempo: Maratona de Paria, 2012 (03:24:32).

Países visitados: Grécia (Atenas), Estados Unidos (Orlando, Melbourne FL, Seattle WA, Las Vegas NV, Chicago IL,New York NY, Birdsboro PA, Kenosha WI, Kalamazoo MI), Alemanha (Berlim e Monschau), Áustria (Gussing), África do Sul (Durban), Canadá (Toronto), Venezuela (Caracas), França (Paris), Espanha (Madrid e Sevilha), Uruguai (Punta del Leste), Chile (San Pedro de Atacama e Santiago) Dinamarca (Copenhagen), Suécia (Estocolmo), Paraguai (Assunção), Argentina (Buenos Aires, Ushuaia), China (Pequim), Peru (Lima), Suiça (Sparkasse), Italia (Maranello) e Bolívia (Santa Cruz de la Sierra):

Estados visitados: Rio de Janeiro (Rio de Janeiro, Nova Friburgo e Buzios), Rio Grande do Sul (Porto Alegre e Rio Grande), São Paulo (Bertioga e São Paulo), Santa Catarina (Florianópolis, Ilhas, Urubici e Bombinhas), Distrito Federal (Brasília), Paraná (Curitiba, Foz do Iguaçu e Londrina), Pernambuco (Recife), Bahia (Salvador), Minas Gerais (Uberlândia) e Goiás (GO).

Maratonas por ano:

  • 2008 – 2 Maratonas
  • 2009 – 10 Maratonas / 3 Ultramaratonas
  • 2010 – 11 Maratonas / 1 Ultramaratona
  • 2011 – 10 Maratonas / 2 Ultramaratonas
  • 2012 – 9 Maratonas
  • 2013 – 9 Maratonas / 1 Ultramaratona
  • 2014 – 9 Maratonas
  • 2015 – 10 Maratonas
  • 2016 – 7 Maratonas
  • 2017 – 14 Maratonas
  • 2018 – 1 Maratona

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here