Início Sem categoria O meu amor pelo Rio (Crônica de um sonho realizado)

O meu amor pelo Rio (Crônica de um sonho realizado)

158
1
COMPARTILHAR

Por JULIO CORDEIRO

A tão sonhada medalha da maratona 100 já está no peito, e aqui no Recife. Pra quem tinha outras 99 medalhas podia parecer uma simples rotina. Mas a história não foi bem assim… Tinha muito mais que números envolvidos nessa conquista.

Voltando um pouco no tempo, eu relembrava de quanta dificuldade eu enfrentei ali mesmo em 2008 na mesma Cidade Maravilhosa. Estreia no mundo das longas distâncias, ansiedade, medo, nervosismo a flor da pele…Tudo junto e misturado … Logo após a chegada, analisei rapidamente a loucura que tinha cometido e prometido a mim mesmo de nunca mais participar dessa dificílima empreitada. 42,195 metros são para os mais obstinados. Os que desafiam a si mesmos. Os verdadeiramente “loucos”.

Era como aquele ditado que fala que você tem que plantar uma árvore (planto várias) , ter um filho (tenho logo 4), escrever um livro (quem sabe um dia) e eu acrescento outro item que é correr uma maratona.

Então uma única maratona já estaria valendo pra mim. Na época, o sentimento que passava pela minha cabeça, era como se eu tivesse dado um presente a mim mesmo de completar uma maratona nos meus 40 anos. Pronto, fiz uma maratona. Já posso bater no peito e dizer: “Eu sou um maratonista”.

Voltando pra casa e cessadas as dores musculares, lá estava eu procurando comprar passagens pra minha segunda maratona, em Atenas na Grécia. Definitivamente o “bichinho da corrida” se alojou de vez em mim, e ano após ano eu estava fazendo uma média de 10 maratonas pelo Brasil e pelo Mundo.

As maratonas se sucediam e os amigos se multiplicavam… Porém UMA dentre todas as maratonas que fiz, me seduzia cada vez mais. A cada ano, o meu planejamento de maratonas, tinha um alvo certo. Essa era “a imperdível”, a “mais desejada”, a “minha rainha”, a “mais linda de todas”…

E esse lugar era o RIO DE JANEIRO.

Fiz todas as maratonas do Rio de Janeiro em sequencia. 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017, onde fiz a minha maratona de número 90. No dia 07/07/2013, eu estava fazendo a minha 6ª maratona seguida no Rio de Janeiro e a minha 52ª no geral. Naquele dia tracei um objetivo, que permaneceu em segredo por muito tempo. Somente eu sabia do plano de fazer as minhas 100 maratonas em 2018 naquele palco.

Seria um ano FANTÁSTICO e cheio de numerologia pra mim. Esse 2018 seria o ano em que faria 10 anos de maratonas, 25 anos de casamento, 50 anos e 100 maratonas. Como dizia Cora Coralina: “A verdadeira coragem é ir atrás dos seus sonhos, mesmo quando dizem que eles são impossíveis…”

Então não me custava sonhar…

Mas o caminho não foi tão pavimentado nesses anos. Em 2016 meu planejamento quase desmorona. Tive que fazer uma cirurgia de remoção de cálculo renal e parar por uns 2 meses. No comecinho de 2017 tive que fazer a remoção de um pequeno tumor na glândula suprarrenal. Perdi a glândula, mas ganhei uma pressão 12/08. Mas isso é um outro assunto… O ano de 2017 seria fundamental para esse meu sonho ser possível.

Comecei a treinar novamente somente no mês de março de 2017. Eu teria que lutar contra o tempo. Lembrei da frase de Bernardinho que diz: “É importante ter metas, mas também é fundamental planejar cuidadosamente cada passo para atingi-las”.

Então eu estava até aí com 84 maratonas e planejei uma outra loucura: Fazer 14 maratonas entre abril e novembro de 2017. Fiz a maratona de Santiago no dia 02 de abril e em maio fui buscar nos Estados Unidos o que eu sempre achava que era impossível pra mim.

Fazer 03 maratonas em uma semana. Finalizei as 03 maratonas em 03 Estados Americanos e em 5 dias. Uma na quarta-feira, a segunda no sábado e a terceira no domingo. Foram 126 KM’s em 05 dias. Ganhei força e vi que o meu objetivo era palpável e muito real.

Dentro do planejamento, conclui em Curitiba em novembro a 14ª maratona do ano e a 98ª do total. Em 231 dias de 2017 fiz 14 maratonas. Uma média de uma maratona a cada 16,5 dias. Viajei bastante, fiquei um pouco ausente da família, mas agora o sonho estava cada vez mais próximo. A 99ª seria em Paris, onde fiz a 3ª na cidade Luz e o gran finale seria onde tudo começou, no Rio de Janeiro.

A cidade que sempre me atraiu pela beleza natural seria a grande escolhida para a minha festa das 100 maratonas. A família que sempre me apoiou em todos os momentos era presença garantida. Combinei com uma verdadeira legião de corredores em cada recanto do Brasil que fiz amizades nesses 10 anos, que o meu grande presente nessa comemoração da centésima maratona seria a presença de cada um deles.

Esses corredores amigos e a minha família são os grandes responsáveis por a realização dessa minha conquista. Fizemos uma verdadeira “invasão” de AMIGOS do Júlio Cordeiro no Rio de Janeiro.

Meu coração, agora forte pela corrida, se encheu de emoção. Os momentos que vivi nesses dias permanecerão pra sempre. O momento da minha chegada da maratona com minha família e amigos se eternizará na minha mente. Obrigado de coração a todos que fizeram parte dessa minha história.

Um grande beijo.

Ah, se eu vou parar nas 100???
Já me inscrevi pra 101 em São Paulo kkkkk

1 COMENTÁRIO

  1. Puxa, emocionei lendo seu relato. Uma história linda que me sinto privilegiada em fazer parte. Você transborda alegria, carinho e um monte de coisas boas. Essa conquista é um marco forte na cida de um maratonista e vc conseguiu. Parabéns com o coração cheio de felicidade por vocês! Adoro tu bunda de castanha! Rsrsrs bjão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here